31 de Março – Dia da Saúde e Nutrição

31 de Março – Dia da Saúde e Nutrição

Com tantas informações sobre alimentação e nutrição em variados canais de mídia, é de se estranhar o rápido crescimento do excesso de peso na população. De acordo com o Ministério da Saúde, o excesso de peso atinge 52% da população brasileira, sendo mais evidente em pessoas acima de 45 anos. Esses dados são alarmantes se considerarmos que o acúmulo de gordura corporal é um dos principais fatores de mortes prematuras por Doenças Crônicas não Transmissíveis.

Este cenário obesogênico é multifatorial, mas a busca insana por um corpo perfeito pode ser um facilitador para o desenvolvimento da obesidade, pois favorece o consumo de forma desregulada dos alimentos. Assim como as atribuições da vida nos grandes centros urbanos induzem a população a procurar meios para ganhar mais tempo em seu dia e entendemos que este acréscimo de tempo pode ser obtido pela diminuição do tempo dedicado no preparo e consumo das refeições. O apelo para o consumo de alimentos ultraprocessados como alimentos prontos, congelados, desidratados, de fácil consumo e de intenso sabor é muito grande. Estes produtos geralmente são ricos em gorduras saturadas, açúcar e sódio.

Os alimentos ultraprocessados estão na mira dos profissionais da saúde pois, de acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira do Ministério da Saúde, o consumo exagerado destes alimentos pode ser o maior responsável pelo excesso de peso da população atual. Esses alimentos sofrem diversas modificações pela indústria alimentícia com o objetivo de torná-los mais atraentes, saborosos, fáceis de preparar e comer. São tantas modificações que, na maioria das vezes, não é possível identificar o alimento de origem para a produção do produto!

Tantas evidências, associando o consumo dos alimentos ultraprocessados com a obesidade, levaram a Organização Mundial da Saúde a lançar recentemente uma classificação de alimentos para auxiliar o reconhecimento destes produtos afim de diminuir seu consumo e auxiliar no combate ao excesso de peso. Essa classificação organiza os alimentos por classes:

  • Alimentos in natura ou minimamente processados: Alimentos com baixos risco para o desenvolvimento da obesidade, como frutas, verduras, cereais, leguminosas embaladas, etc.;
  • Alimentos processados: considerados de risco médio para o desenvolvimento da obesidade como pães, conservas de frutas, picles, carnes salgadas, sementes salgadas, etc.;
  • Alimentos ultraprocessados: com elevado risco para obesidade, como guloseimas, cereais matinais, skakes emagrecedores, pratos prontos, bebidas achocolatadas ou com sabor de frutas, refrigerantes, misturas em pó para bolos, empanados tipo nuggets, barrinhas de cerais, etc..

Todas as organizações científicas oficiais da área da saúde sugerem que a diminuição radical do consumo dos alimentos ultraprocessados é um poderoso aliado no controle de peso. Portanto, em comemoração ao dia da Saúde e Nutrição vamos fazer deste dia 31 de março um dia livre de alimentos ultraprocessados. Este pode ser o primeiro passo no seu processo de perda de peso e melhoria da saúde! Experimente! E lembre-se: no caso de dúvidas, procure um profissional nutricionista; ele saberá orientá-lo de maneira prática, eficaz e econômica!

Um grande abraço!

Literatura sugerida:

Ministério da Saúde – Vigitel.

Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011 – Scielo

Ministério da Saúde – Guia alimentar da população brasileira.

The star shines bright. Food classification. Public health. World Nutrition –  Classificação Alimentar (em inglês)